julio 06, 2007

O Velho Limoeiro - Colaboración desde Portugal


O VELHO LIMOEIRO
Jorge Humberto

Junto à minha janela há um velho limoeiro
retorcido pela idade e tenaz companheiro
das minhas horas mais tristes, na solidão
de meu quarto, onde guardo certo alazão,

Que já não cumpre idade, tantas as lutas
que travamos, cumpridas as permutas,
que nos aliviavam o cansaço dos corpos,
quando estes jaziam no chão quase mortos.

Hoje tudo isso acabou, já não tem idade
para estas aventuras, tornando-se depósito
se lixo pelas mãos insalubres da insanidade,

De pessoas que não souberam sonhar
na vida e como vermes caminham a propósito
de um velho costume, que as faz desdenhar.

No comments yet

 
Theme By Arephyz, Modified By: §en§ei Magnu§ and Powered by NEO